FBI, CIA e NSA pedem para que os americanos não comprem smartphones da chinesa Huawei

Por mais irônico que pareça a NSA, que pós-snowdem virou sinônimo de bisbilhoteira do mundo, em conjunto com FBI e CIA, fez um alerta para os norte-americanos: não comprem smartphones da Huawei.

No ano passado a gigante chinesa alcançou o posto de segunda maior fabricante de smartphones do mundo, ultrapassando a Apple. As agências dos EUA acreditam que a Huawei é um braço do governo chinês em ações de espionagem.

Além da Huawei, a ZTE também faz parte da lista de empresas que desagradam a CIA, FBI e NSA. A birra contra a Huawei vem desde 2012, quando foi acusada de de abrir brechas de segurança (backdoors) em seus produtos para facilitar a espionagem pelo governo chinês.

Em 2014, o governo americano proibiu contratos estatais com a companhia, já que o seu fundador e CEO, Ren Zhengfei, foi um oficial do Exército Popular de Libertação da China.

Ren Zhengfei, CEO e fundador da Huawei

Empresas norte-americanas também estão dificultando a vida da empresa de Zhengfei. A operadora AT&T que ia ser a primeira grande operadora dos EUA a fechar uma parceria com a Huawei, para o lançamento do Mate 10 Pro, desistiu do acordo, provavelmente por questões políticas. O anúncio oficial da parceria inclusive foi feito na CES 2018, porém aos 45 do segundo tempo a AT&T voltou atrás.

De acordo com advertências do diretor do FBI, Chris Wray, a Huawei teria capacidade de modificar ou roubar informações, bem como proporcionar a capacidade de realizar uma espionagem que não pode ser detectada, através dos seus dispositivos.

No início da semana passada, Tom Cotton, senador do Arkansas, disse que a Huawei efitivamente é um “braço do governo chinês”. O político também disse que há muitas empresas que podem corresponder às necessidades tecnologicas do país e que não precisam facilitar a espionagem da China.

A blindagem contra a Huawei e ZTE é tão significativa que os EUA estão preparando uma lei para proibir que os funcionários do governo utilizem telefones fabricados por essas duas empresas.

A Huawei retrucou dizendo que os ataques do governo dos EUA são por motivos comerciais e não por problemas reais de espionagem. “Conhecemos as atividades do governo dos Estados Unidos destinadas a inibir nossos negócios em seu mercado. Governos e clientes em 170 países de todo o mundo confiam na Huawei e não representamos um maior risco de segurança cibernética do que qualquer outro provedor de TIC “

A ZTE também soltou uma nota, reforçando que orgulha-se da inovação e da seguraça de seus produtos no mercado norte-americano.

Fonte: Hardware

Tagged , , , . Bookmark the permalink.