O que sabemos sobre o grande bloqueador de anúncios do Chrome que chega nesta quinta

Sendo preparado há quase um ano, o “grande apocalipse dos anúncios” do Google chegou. Nesta quinta-feira (15), o navegador Chrome vai começar a automaticamente bloquear anúncios que não sigam determinados padrões de qualidade. Sua experiência de navegação está prestes a mudar um pouco. Eis o que você precisa saber.

Em abril do ano passado, surgiu pela primeira vez a notícia de que o Google planejava integraruma forma de bloquear anúncios em seu navegador de forma padrão. Desde então, vimos um lançamento gradativo do recurso, começando com a possibilidade de tirar o som de vídeos que reproduziam automaticamente em sites da sua escolha. Agora, o Google vem com tudo, trazendo um conjunto de critérios para determinar quais anúncios serão legítimos no Chrome.

Junto com seu colega gigante da tecnologia Facebook, o Google é membro da Coalition for Better Ads (Coalização para Melhores Anúncios), um grupo que tem feito pesquisas sobre quais formas de anúncio online mais irritam as pessoas. A coalização criou uma lista com 12 tipos de experiências web que, idealmente, devem ser evitadas por anunciantes. Agora, o Google vai fazer cumprir essa lista com o Chrome, que é usado por mais de metade das pessoas que acessam a rede usando um navegador.

Os 12 tipos de anúncios que o Chrome vai bloquear por padrão (Imagem: Coalition for Better Ads)

Nesta quarta-feira (14), a empresa publicou um blog post detalhando como o sistema vai funcionar. Inicialmente, o Google vai pegar uma amostra de várias páginas em um domínio específico e analisar se aquela página está infringindo alguma das categorias de anúncio. Uma pontuação será conferida, determinando se ela está aprovada, em advertência ou se foi reprovada. Os sites que não conseguirem uma nota de aprovação serão notificados pelo Google e poderão revisar um relatório de experiência de anúncio para ter detalhes sobre o que precisa mudar. Se um site ignorar vários avisos, seus anúncios serão bloqueados de forma padrão depois de 30 dias.

Se um usuário visitar um site filtrado pelo Chrome, verá uma mensagem na barra de endereço que lhe dá a opção de ainda permitir os anúncios — em dispositivos móveis, os usuários verão uma janela no canto da tela que dará a mesma opção. Sim, anúncios pop-up são bloqueados, e o Google vai te informar sobre isso com uma notificação em pop-up.

Imagem por Google

Existem vários motivos para celebrar essa mudança. A internet está ficando cada vez mais difícil de se navegar e mais irritante, com anunciantes exigindo experiências mais intrusivas a cada dia. O Google alega que, desde que começou essa iniciativa, “42% dos sites que não passavam nos padrões resolveram seus problemas e agora estão sendo aprovados”. Então, parece que muitos donos de sites entenderam a mensagem antes que ela pudesse se tornar um problema.

Mas também existe motivo para ficar cético quanto aos objetivos altruístas do Google. Claro, ele está dizendo aos anunciantes para não serem malvados, mas também está esperando que uma melhor experiência vá significar menos pessoas se sentindo a vontade de baixar um bloqueador de anúncios de terceiros.

Isso é bom para a internet, que é, em grande parte, financiada por anúncios. Mas é particularmente bom para o Google, que controla 42% do mercado de anúncios digitais dos Estados Unidos e 75,8% do mercado de buscas, segundo uma pesquisa da eMarketer. Não seria muito bom se o Google, com todo seu poder, decidisse seguir os passos de serviços como o Adblock Plus, que oferece a empresas a oportunidade de pagar para contornar a lista de anúncios aceitáveis. Representantes do Google nos garantiram em várias ocasiões que a empresa não iria oferecer qualquer tipo de serviço do tipo e que não planeja fazer isso. Mas as coisas podem mudar.

Por enquanto, aproveite a melhor experiência de navegação antes que o Google a consuma por completo e faça o que lhe der na telha.

[Chromium Blog]

Fonte: Gizmodo

Tagged , , . Bookmark the permalink.