HTC One M9: pequenas mudanças na evolução do smartphone de metal

Este é o novo HTC One, o terceiro de uma linha de smartphones que levou dispositivos Android a adotar acabamentos metálicos e melhorar seu design em geral. O HTC One M9 é muito bonito, como tem sido desde o original em 2013 – mas não é incrivelmente melhor de uma forma marcante.

Você tem a mesma tela LCD de 5 polegadas com resolução Full-HD, e os alto-falantes BoomSound duplos voltados para a frente, agora com som surround virtual Dolby Digital 5.1.

Por dentro, temos o processador Snapdragon 810 de oito núcleos, 3 GB de RAM e 32 GB expansíveis via microSD, mais uma bateria um pouco maior de 2.840 mAh. Só a câmera passou por uma enorme reformulação.

O One M9 vem com um sensor de 20 megapixels e vidro de safira para protegê-la contra microarranhões, algo necessário pois a lente forma uma pequena protuberância na traseira. O sensor de 4 UltraPixels agora está na frente, na câmera para selfies, porque esses pixels maiores capturam mais luz e funcionam bem em ambientes pouco iluminados. Além disso, à distância de um braço, você não vai precisar de uma resolução enorme.

O M8 já era bem interessante, e seu design melhorou aqui. A HTC mudou duas coisas: em primeiro lugar, agora você pode obter um HTC One colorido em dois tons: prateado com tons dourados na borda, e algo que a empresa chama de “cinza bronze”.

 

Em segundo lugar, há uma espécie de “lábio” no aparelho. É difícil de explicar, mas ao redor do One M9 há uma borda com ângulo de 90 graus que se projeta para fora. Quando eu a vi pela primeira vez, eu tentei arrancá-la (como um idiota) porque parecia haver um smartphone menor em um estojo de metal. Eu me senti menos idiota quando um cara perto de mim fez exatamente a mesma coisa.

É algo diferente, e o smartphone ainda mantém seu corpo monobloco de metal, mas não sei exatamente qual a utilidade disso. Felizmente, essa borda ainda é muito boa de segurar.

O One M9 vem com Lollipop personalizado pela skin Sense 7. A HTC diz que o maior foco é em personalização: a empresa criou um widget opcional que, usando GPS, aprende a sua rotina para saber se você está no trabalho, em casa ou em outro lugar, e oferecer apps que você normalmente usaria. É semelhante a alguns launchers para Android.

O Blinkfeed, uma espécie de Flipboard embutida na tela inicial, agora emite notificações e recomendações na tela de bloqueio com base em sua localização. Você também pode usar temas para alterar drasticamente a aparência visual do seu smartphone – não apenas o papel de parede, como também a sua gaveta de apps e a janela de multitarefa.

No geral, à medida que as fabricantes de smartphones começam a reduzir suas skins, chegando cada vez mais perto do Android padrão, a HTC parece estar um passo atrás – ainda há coisas demais na Sense 7.

O One M9 é um belo smartphone com um processador poderoso e uma câmera bem capaz. É mais iterativo do que transformador, apenas refinando seus componentes, sem mexer na receita que fez a HTC voltar a lucrar. Será o bastante para competir com Moto X, Galaxy S6 e tantos outros?

Como sempre lembramos: o One M9 provavelmente não virá oficialmente ao Brasil, porque a HTC não tem mais escritório no país desde 2012.

Fonte: Gizmodo

Tagged , , , , , . Bookmark the permalink.