Apple é processada porque iOS 8 ocupa espaço demais nos dispositivos

Em setembro, a Apple começou a distribuir o iOS 8 diretamente para seus dispositivos. No entanto, a atualização exige muito espaço livre, prejudicando quem tem dispositivos de 8 GB e 16 GB. Agora, uma ação civil pública quer condenar a empresa por isso.

Segundo o SiliconBeat, duas pessoas de Miami abriram o processo – ao qual mais consumidores poderão se juntar – pedindo um julgamento por júri nos EUA.

O download da atualização para o iOS 8 requer até 5,7 GB de espaço livre, algo difícil em dispositivos como o iPhone 5c de 8 GB. Isso criou dores de cabeça e dificultou a instalação do update. Sim, é possível usar o iTunes para atualizar, mas muita gente não sabe disso.

O iOS 8 não consome tantos gigabytes após a instalação, mas reduz o espaço livre disponível para o usuário. Diz o processo:

A Apple não revela que a atualização do iOS 7 para iOS 8 vai custar ao usuário entre 600 MB e 1,3 GB de espaço de armazenamento – um resultado que nenhum consumidor poderia prever.

Não é possível fazer downgrade do iOS 8 para o iOS 7, nem usar cartões SD para expandir o armazenamento.

O problema também afeta dispositivos que já vêm com o iOS 8 pré-instalado, já que o sistema consome até 23,1% do espaço disponível:

O processo ainda cita o fato de que a Apple chama o iOS 8 de “a maior versão do iOS até hoje”:

De forma bastante irônica, a Apple divulga o iOS 8 como “a maior versão do iOS até hoje”. É claro que a Apple não está se referindo ao tamanho literal do iOS 8, que parece nunca ser revelado em seus volumosos materiais de marketing exaltando as supostas virtudes do iOS 8.

Resta ver qual será a reação da Apple. O SiliconBeat nota que a empresa já se defendeu com sucesso de acusações semelhantes: em 2012, ela venceu um processo no Canadá envolvendo o espaço livre no iPod.

Não é a primeira vez que uma fabricante de gadgets é processada por oferecer menos espaço livre que o anunciado. A Samsung é alvo de uma ação civil pública nos EUA porque o Galaxy S4 de 16 GB só oferecia 9 GB de espaço para o usuário – o restante era ocupado pelo sistema. A coreana disse que um cartão SD resolveria o problema, mas o caso continua na justiça.

A Microsoft, por sua vez, foi processada por um advogado em 2012 porque o Surface RT de 32 GB deixava apenas 16 GB de espaço livre. O caso foi resolvido por arbitragem, fora dos tribunais. [SiliconBeat via The Verge]

Fonte: Gizmodo

Tagged , , , , . Bookmark the permalink.
  • bLUE M@X

    Ou seja, o que custa às empresas permitir o uso de cartões de memória externos, se qualquer valor na produção seria repassado ao consumidor final !! :/