Ex-empresa de John Carmack diz que ele usou tecnologia ‘roubada’ na Oculus VR

A briga pela dominação da realidade virtual ainda nem começou direito, mas acusações pesadas já estão sendo trocadas. Na última semana, a empresa Zenimax divulgou uma nota oficial acusando John Carmack, co-criador de Doom, de ter “roubado tecnologia e know-how” quando deixou a empresa e foi contratado pela Oculus no ano passado. Nesta segunda, a Oculus VR rebateu as acusações por meio de nota oficial.

A ZeniMax é uma gigante do mundo dos games e dona da id Software, da Bethesda e de alguns estúdios menores. Por ser dona da id Software, empresa fundada por Carmack, é possível dizer que a Zenimax era a “empregadora” do desenvolvedor até o ano passado, quando ele deixou a id para se dedicar exclusivamente à Oculus.

O problema é que, na última semana, a ZeniMax acusou John Carmack de ter “roubado tecnologia” relacionada à realidade virtual. “Foi somente através dos esforços do Sr. Carmack, utilizando tecnologia desenvolvida ao longo de muitos anos na ZeniMax, que o Sr. Luckey [criador do Oculus Rift] foi capaz de transformar a sua ideia em uma realidade”, dizem os advogados da empresa, segundo o Wall Street Journal.

“A tecnologia proprietária e o conhecimento que o Sr. Carmack desenvolveu quando era funcionário da ZeniMax estão sendo usados pela Oculus e são de propriedade de ZeniMax. Bem antes da compra da Oculus pelo Facebook, o Sr. Luckey [fundador da Oculus VR] havia reconhecido por escrito a propriedade legal da ZeniMax sobre propriedade intelectual de Carmack. A Oculus VR têm usado e explorado a tecnologia da ZeniMax sem autorização, compensação ou crédito para ZeniMax”, diz a nota oficial divulgada pela ZeniMax.

A disputa ainda não foi parar nos tribunais, mas nenhum lado parece querer ceder. Nesta segunda, a Oculus VR e John Carmack divulgaram uma nota à imprensa negando todas as acusações da ZeniMax.

Estamos decepcionados, mas não surpresos, com as ações da ZeniMax e vamos provar que todas as suas alegações são falsas. Entretanto, gostaríamos de esclarecer alguns pontos-chave:
– Não há uma linha de código da ZeniMax ou qualquer aspecto de sua tecnologia nos produtos da Oculus.
– John Carmack não pegou qualquer tipo de propriedade intelectual da Zenimax.
– A ZeniMax distorceu o objetivo e a linguagem do acordo que assinou com Palmer Luckey.
– Uma das principais razões para a saída de John Carmack da ZeniMax, em agosto de 2013, foi a de que a empresa o impediu com realidade virtual e deixou de investir em jogos de realidade virtual.
– A ZeniMax cancelou o suporte à realidade virtual para Doom 3 quando a Oculus se negou a aceitar o pedido de participação da ZeniMax no capital da empresa.
– A ZeniMax não apresentou qualquer queixa contra Oculus referente à propriedade intelectual ou tecnologia. A ZeniMax nunca contribuiu com a tecnologia da Oculus, e só depois que o acordo com o Facebook foi anunciado que a empresa passou a fazer essas essas afirmações por meio de seus advogados.
– Apesar de o código completo do Oculus SDK estar disponível online (developer.oculusvr.com), a ZeniMax nunca foi capaz de identificar qualquer código ou tecnologia ‘roubados’.

Fonte: Kotaku

 

Tagged , , , , , , , . Bookmark the permalink.