Ser pago para avaliar pornôs não é tão legal quanto parece, segundo censor chinês

Em algum lugar do mundo, algum cara deve pensar que ser pago para avaliar pornografia é o melhor trabalho do mundo. Ficar sentado vendo pornografia o dia inteiro pode até parecer uma boa ideia (será?), mas segundo um funcionário do governo chinês, o trabalho é repugnante.

A censura é grande parte do que faz a China ser o que é. A imprensa é censurada. As mídias sociais são censuradas. A internet é censurada. O pornô, claro, é definitivamente censurado no país.

Para se certificar de que tudo o que acaba sendo censurado é algo que realmente precisa ser censurado, a China contrata exércitos e exércitos de pessoas. No ano passado, o anúncio de uma vaga para Chief Pornography Identification Officer que pagava cerca de US$ 30 mil por ano e mais alguns benefícios acabou sendo cobiçada por milhares de pessoas.

Mas nem todos estão felizes com esse tipo de trabalho. Liu Chunqi, por exemplo, tem 59 anos e trabalha analisando uma quantidade enorme de material para decidir o que é e o que não é pornô. Em entrevista à Xinhua, agência de notícias estatal da China, Liu diz que algumas cenas que viu durante os cinco anos em que está trabalhando na área reviraram seu estômago. Ele afirma que já perdeu o apetite e vomitou algumas vezes após assistir a alguns tipos de vídeos.

Liu é o especialista em pornografia do departamento de polícia da cidade de Harbin. Seu trabalho é verificar os materiais encontrados em Harbin que podem ser de natureza pornográfica. Ele tem que assistir e fazer um relatório de todos os vídeos confiscados. Isso soa como um trabalho que realmente deve cansar os olhos.

Quando Liu foi informado que tinha sido escolhido para ser censor de pornografia em Harbin, ele tentou recusar o trabalho. Felizmente para Liu, seu supervisor o convenceu a assumir a tarefa de catalogar todo o pornô confiscado na região.

Liu diz que assistiu a mais de 600 mil vídeos desde que começou no cargo, cinco anos atrás. Isso significa que ele viu uma média de 329 vídeos por dia! Em algumas “maratonas”, Liu acabou passando tantas horas vendo os vídeos que acabou dormindo no sofá do departamento de polícia do local.

Além de ver e catalogar todo o material nas categorias “pornô”, “erótico” e “outros”, Liu também tem de ficar de plantão 24h e estar de prontidão para o trabalho caso a polícia descubra uma loja ilegal de DVDs.

A família de Liu não está muito feliz com o que ele faz para ganhar a vida. Sua mãe, de acordo com a Xinhua, teve um ataque cardíaco depois de descobrir que seu filho tinha sido encarregado de monitorar as obscenidades da rede.

Mesmo que seja uma ocupação difícil e ingrata, o trabalho de Liu, de acordo com o Xinhua, é muito importante. De acordo com a agência oficial do governo, Liu ajudou a solucionar casos de exploração de pornografia e sua expertise foi fundamental para determinar o que é ou o que não é pornografia. Sua experiência no assunto também fez com que ele fosse convidado por departamentos de polícia de várias províncias da China para um trabalho de consultoria. Pois é, parece que no fim das contas ele até que tem uma vida bem interessante.

Fonte: Kotaku

Tagged , , . Bookmark the permalink.