Político anti-videogames é preso por tráfico de armas nos EUA

O senador do estado da Califórnia Leland Yee foi preso e acusado por corrupção durante a manhã do dia de ontem. Após uma operação policial que incluiu buscas, apreensões e mandados de prisão que foram feitas no distrito de Chinatown em San Francisco, o político foi acusado de suborno e corrupção. Seus pertences no centro do governo de San Francisco também foram apreendidos para averiguação.

Em seu julgamento, foi considerado culpado por seis acusações de fraude relacionada a pedidos de doação para sua campanha para Secretário do Estado da Califórnia (nos Estados Unidos, doações de campanha não podem ultrapassar $500 por indivíduo) e, incrivelmente, por tráfico de armas. Para cumprir sua pena, Leland Yee deverá pagar $250,000 por cada acusação, além de cumprir de cinco a vinte anos de cadeia. A prisão do Sr. Yee também está ligada a uma investigação ainda maior, que procura desbaratar uma organização criminosa baseada em San Francisco.

Uma das medidas contra os videogames tomadas pelo político, uma delas foi a violent games bill AB-1179, criada em 2005. Nela a venda de videogames considerados violentos seria proibida e, embora não tenha sido aprovada de início, o antigo (e famoso) governador do estado, Arnold Schwarzenegger, havia aprovado tal lei. No entanto, a nova regra não viveu por muito tempo quando a suprema corte americana anunciou que tal lei era inconstitucional e violava a Primeira Emenda da constituição americana, que garante a liberdade de expressão para todas as mídias, inclusive videogames.

O político não ficou nada satisfeito com a situação, respondendo que a suprema corte defendia apenas os interesses das corporações e acusou a indústria de games de garantir seus lucros explorando a saúde mental das crianças e a segurança da população. Esse tipo de resposta chega a ser irônica dada a complicada situação na qual o Sr. Yee se meteu.

Fonte: Gameworld

Tagged , , , . Bookmark the permalink.