AMD lança oficialmente a Plataforma AM1

Já vimos aqui em nosso canal anúncios a respeito da nova proposta da AMD para atingir o mercado de baixo custo como a nova plataforma AM1, elaborada para dar acomodar a APU Kabini desenhada em formado PGA, ou seja, é necessário um soquete para implantação, este soquete é uma releitura do soquete FS1b usado em plataformas anteriores para dispositivos móveis.

Agora é oficial, com o lançamento da plataforma FM1 a AMD pretende oferecer um produto mais acessível principalmente em regiões de baixo PIB. Os usuários desses mercados exigem sistemas de baixo custo que permita atualização. Com a plataforma AM1, a AMD está oferecendo um sistema com um SoC e placa-mãe na faixa dos US$60 e por ser soquetada, lhe permitirar posteriores atualizações.

As APUs Kabini serão semelhantes à suas irmãs do seguimento laptop, com até quatro núcleos de CPU de núcleo Jaguar, um controlador de memória com suporte a um único canal e módulos de até 1600MHz, dois núcleos gráficos baseados na arquitetura GCN além do controlador de entrada e saída “I/O, Kabine é a primeira APU verdadeiramente “Fusion”, um SoC completo. Placas-mães AM1 não terão chipset (agora tudo gerenciado pelo SoC), o que deve ajudar a reduzir o custo das placas-mães. A Kabini oferece duas portas SATA 6Gbps, duas portas USB 3.0, oito portas USB 2.0, quatro pistas PCIe 2.0 e três saídas de vídeo (DisplayPort, HDMI e VGA).

Por enquanto a lista que temos das APUs para a plataforma AM1 é composta por Athlon e Sempron com diferentes configurações, por enquanto, todas para 25W de TDP:

O núcleo Jaguar da AMD é mais conhecido por ser usado nas APUs tanto no console Microsoft Xbox One quanto a do Playstation 4 da Sony (PS4). A Plataforma AM1 suporta o Windows XP, Windows 7 e Windows 8.1 tanto das arquiteturas de 32 bits ou de 64 bits.

O objetivo da AMD é oferecer um sistema em contra partida ao oferecido pela Intel por intermédio da Plataforma Bay Trail da Intel e espera vê-lo equipando desktops de tamanho bem reduzido e reprodutores de mídia.

“Nós vemos isso sendo usado para computação básica, alguns produtividade leve e jogos básico e mesmo dentro do ambiente Windows 8.1 com seus quatro núcleos, seremos capazes de oferecer mais barato”, acrescentou Kozak.

AMD tem slide que comparam a Plataforma AM1 contra um Intel Pentium J2850 com PC Mark 8 v2 e alega que produziu o dobro do desempenho do processador Intel.

Tendo rapidamente testados Jaguar em uma plataforma de desktop, a AMD está claramente fazendo um jogo low-end, onde os volumes podem ser elevados, enquanto as margens de lucro são baixas. Mesmo que a placa-mãe e APU combinado seja de US$ 60, o resto do sistema pode facilmente dobrar, menos um monitor e um sistema operacional, o que poderia trazer o total de US $ 200 ou mais perto US $ 250. Nessa faixa de preço, a principal competição é contra tablets com Windows (ou Linux), ou dependendo da carga de trabalho, mesmo tablets com Android. Há espaço para outros mercados (como uma máquina de computação mais barato). A fato de um único canal de memória é um pouco estranho quando se trata de throughput, que reduz a largura de banda de pico de para 12,8GB/s.

O fato desta plataforma ser atualizável pode significar que melhores APUs virão e poderão sucumbir até mesmo plataformas de baixo custo baseados na arquitetura Bulldozer, que custam por volta de US$ 85, porém, oferecem um pouco mais de conectividade.

Abaixo uma lista de plataformas que os principais fabricantes já as tem em oferta.

Fontes: AMD, Anandtech e The Inquire

 

 

Bookmark the permalink.